maio 22, 2018

Terça, 22.


Sumi, eu sei. Tenho andado ocupada com uma porção de coisas nos últimos tempos, muitas mudanças e um pouco de falta de inspiração também. Então vamos lá ao breve resumo da minha vida nesse tempo que desapareci.

Mudança de casa
Já havia comentado aqui que iria me mudar. A casa em que eu morava antes era minha mesmo (na verdade continua sendo e está lá quietinha com as minhas muambas), mas por diversos motivos optei por alugar um apartamento e já fazem dois meses que me mudei e minha qualidade de vida melhorou 100%.
Porém, saí de uma casa de 3 andares e mais de 100m² pra um apartamento de 50m², então imaginem a luta que tem sido pra arrumar lugar pra muambeira toda, tem sido um exercício e tanto! Mas finalmente estou começando a conseguir aplicar o conceito de 'essencialismo' na minha vida.

Saúde
É um negócio que vem tirando meu sossego no último ano. Além da gastrite largamente conhecida, venho há algum tempo tentando descobrir o motivo de umas coisas estranhas que eu sinto, mas ainda sem sucesso. Claro que isso me estressa ao extremo, pois é do ser humano sempre pensar nas piores coisas e eu não sou diferente, então estou tomando vergonha na cara para fazer todos os exames que preciso e que tenho enrolado pra fazer. Até agora, todos os resultados tem sido agradáveis, ainda bem.

Aniversário da Alice
Minha borboleta dará sua terceira volta no Sol em setembro e eu venho planejando a comemoração já faz algum tempo, porém agora comecei nos preparativos com afinco e isso ocupa uma porção considerável do meu tempo, pois eu estou fazendo cada coisinha. E quando eu digo que estou fazendo tudo é tudo mesmo, eu só não me arrisco à fazer o bolo e os comes. Como eu não tenho muito tempo livre por conta da rotina de terapias dela, eu comecei bem antes esse ano pra não ser aquele estresse que costuma ser na semana da festa. Pra quem não sabe, o tema escolhido para esse ano foi sereias/fundo do mar e estou amando cada coisinha que tenho feito, melhor tema que já fiz até hoje.

Projeto de trabalho
Como muitos sabem eu sou bióloga, mas tive que parar de trabalhar desde o nascimento da Alice, pois a rotina terapêutica dela não me permite ter um emprego com horário regular e não tenho a menor projeção de quando isso será possível novamente. Mas eu não gosto de não ter um trabalho, de não ter aquele dinheiro sobrando para uma muambinha de vez em quando, então eu tenho trabalhado num projeto para que eu possa trabalhar de casa mesmo e nada a ver com a minha área de formação, mas é também um ramo que eu gosto muito. Dando tudo certo, venho comentar sobre isso por aqui.

Redes sociais
Fiz uma coisa que eu queria e precisava fazer há muito tempo: desativei meu Facebook e Instagram pessoais (são aquelas contas que a gente tem parente, amigos, gente do trabalho, da faculdade, do bairro). Eu não me sentia mais confortável vendo certas coisas e certas pessoas (e que fica chato dar unfollow justamente por serem desses grupos que eu citei acima). Ponderei muitas coisas e resolvi desativar e tem me feito um bem enorme, deveria ter feito isso muito antes.
Mantenho outras redes ~ocultas~ que uso para participar de grupos e manter contato com meus amigos da internet, essas tem seus públicos muito bem selecionados e são pra mim fonte de inspiração e alegria, ao contrário das outras que só me causavam aborrecimento.

Projetos pessoais
A desativação dessas redes faz parte de um processo de autoaceitação, onde estou determinada a me empenhar em fazer as coisas que gosto, me vestir como tenho vontade, frequentar os lugares que realmente me interessam sem me importar com o que os outros vão pensar ou achar a meu respeito. A vida é muito breve e eu tenho passado ela inteira frustrada pensando no que eu gostaria de viver, fazer e sentir e não faço por receio da opinião alheia. Decidi lutar contra isso, afinal essa sou eu, essa é minha história e eu não tenho que fazer o que as pessoas acham que é o certo ou legal. Torçam por mim e teremos muitos posts aqui sobre essa incursão que estou fazendo em mim mesma.

Blog
Quero me dedicar mais à esse espaço, principalmente agora que estou disposta à dar uma chance para mim mesma e não ter vergonha das coisas que gosto, de quem eu sou, não vou mais tentar me encaixar num lugar que não me cabe. Sei que tem muita gente por aí que se sente assim e eu quero de alguma forma ajudar essas pessoas à jogarem a opinião dos outros para trás das costas e serem felizes sendo elas mesmas.
Mas eu preciso mudar esse layout, estou enjoada e incomodada com ele e com isso não tenho vontade de postar nada, mas vou resolver isso em breve, tão logo eu possa comprar o layout que estou de olho.

Bom, essa tem sido minha vida nos últimos tempos. E vocês, o que têm feito por aí?


Até mais!

março 20, 2018

Outono, bem-vindo és...


Foi-se embora o espalhafatoso verão!

De dentro do eterno ciclo da natureza retornou o outono, sereno e calmo!

“La belle season” é como batizaram os franceses esta estação que nos descortina as renovadas-vestes-da-divindade presentes na natureza.

Outono é uma parábola de nós mesmos, seres outonais! Suas manhãs são mais poéticas e os seus crepúsculos são mais filosóficos. Aquelas são belas em sua melancolia. Estes são melancólicos em sua beleza. Assim, somos todos nós.

Creio que é no outono que entendemos melhor o ensinamento de Oscar Wilde: “ser como crianças, para não esquecermos o valor do vento no rosto e ser como velhos para que nunca tenhamos pressa".

Isso é sabedoria. E se nos tornarmos mais sábios, já não precisaremos mais ter medo de envelhecer. Afinal, a vida também é um eterno renascer.

Coisa que só o outono ensina. O resto são folhas mortas.

Autoria: Carlos Alberto Rodrigues Alves

fevereiro 26, 2018

Segunda, 26.


Estou bastante ausente daqui, eu sei. Mas é por um bom motivo: estou num processo de mudança de casa, de vida, de objetivos e isso tem consumido meu tempo drasticamente e tem sido difícil reservar um tempinho pra fazer o que quer que seja.

Essas mudanças todas, apesar de serem benéficas e estarem sendo feitas única e exclusivamente pelo meu desejo, me causam sentimentos confusos e tenho me sentido fragilizada, logo não tenho conseguido ter inspiração para compartilhar nada legal com vocês. Mas isso vai passar, é só o medo que antecede uma mudança grandiosa na vida da gente.

E nesse mês de fevereiro o blog completou um ano e eu mais um, o grande ciclo da vida que nunca para e assim seguimos.

Me desejem sorte nessa nova etapa da minha vida e voltarei assim que puder ♥

janeiro 28, 2018

Nas profundezas do bosque, ela fez morada.

janeiro 01, 2018

Janeiro, 1.

Hoje inicia-se a primeira página de um livro em branco, cuja história só cabe a nós e tão somente a nós escrevermos. O final? Não dependerá de ninguém além de nós.
O ano que acabou de partir não foi um dos melhores da minha vida, confesso, mas também não está entre os que lembro com aflição. Foi um ano cansativo e difícil, mas pelo que sou grata por ter aprendido muitas coisas.

Naturalmente o início de um novo ano nos desperta sentimentos de mudança e entusiasmo, mas sejamos sinceros, eles não duram nem até o final do mês. As listas enormes de resoluções se perdem na rotina de sempre e nos vemos fazendo tudo de novo, de novo e de novo.

Eu mesma sou mestra nisso. Esse ano eu não vou fazer listas gigantes de coisas que eu sei que não vou conseguir cumprir, não quero me frustrar quando perceber que falhei miseravelmente. Sendo assim, subdividi meus objetivos em poucas áreas de foco e no decorrer do ano se eu conseguir desenvolver coisas dentro dessas áreas muito que bem, caso contrário não irei me cobrar e nem me autoassolar por isso. São elas:

- família: quero me dedicar mais à minha família em todos os aspectos, desde passar mais tempo de qualidade com eles, como cuidar de fato de todos de todas as formas que conseguir (isso inclui meus amigos querido também).

- Alice: quero priorizar ela em todos os sentidos: educação, memórias afetivas positivas, alimentação, saúde, tratamentos e principalmente os estímulos para ajudá-la em seu desenvolvimento.

- saúde: quero emagrecer, colocar meus exames em dia, investigar e cuidar do que não está legal, manter uma rotina alimentar saudável, fazer atividades físicas, beber bastante água, praticar meditação e iniciar o processo de retirada de carne da minha dieta.

- hobbies: quero ler mais, assistir mais séries e filmes legais, aprender o básico de costura, aprender uma arte manual nova (crochê ou tricô) e me empenhar diariamente na prática de caligrafia (pelo menos uncial, esse ano).

- estilo de vida: quero conseguir manter as minhas coisas e a minha casa organizada sempre, praticar o essencialismo, doar tudo que não uso, manter meu guarda-roupa organizado (!!!) e só com o que eu realmente gosto e uso, evitar a procrastinação e me organizar financeiramente.

E quais são os desejos de vocês para esse ano?

Que esse seja o melhor ano de nossas vidas e que não deixemos nem um único dia de plantar uma sementinha para isso acontecer. Feliz 2018 ♥